Escolha uma Página

NO EMAGRECIMENTO E HIPERTROFIA A GENÉTICA E UM FATOR QUE NEGATIVO?

Maxsuel Alves- #PersoCarrasco

Muitos culpam a genética como fator que atrapalha nos resultados, a não emagreço por que no meu histórico familiar a maioria tem sobrepeso, a não consigo ganhar massa magra por que meu pai e mãe são magros, sempre acham uma desculpa! Pois bem, depois de incansáveis estudos, muita coisa foi descoberta e muitas destas desculpas vieram abaixo, já que cada vez mais a ciência vem descobrindo que genética não é destino.

Fatores como hábitos alimentares e físicos driblam muito casos pois a modificações são notórias quando os indivíduos procuram profissionais qualificados para alçarem seu objetivos de forma adequada e pautando a saúde e qualidade de vida.

Antes de qualquer coisa, é importante saber que o grande objeto de estudo no que se refere a genética é a questão de sua influencia e qual a interferência dos hábitos de vida sobre os aspectos genéticos. Hoje muita coisa foi descoberta e já se sabe que a genética pode não ser tão determinante quanto muito pensam, principalmente na construção de um corpo harmônico.

O que dizem as pesquisas

Vários estudos foram feitos no sentido de esclarecer a influência da genética quando o assunto é perda de peso. Grande parte dos pesquisadores conseguiu chegar a um consenso: a genética pode ser modificada pelos hábitos de vida.

Por exemplo, se você nasce com genes que proporcionam uma pré-disposição para engordar isso não significa que perder peso nunca será possível. Com bons hábitos alimentares e uma certa frequência de exercícios é possível suprimir o gene e ainda mais: é possível evitar que essa supressão passe para a sua descendência. Ou seja, os seus filhos também terão os genes, mas graças ao seu excelente estilo de vida a sombra da gordura não pousará sobre eles.

Então, agora que você já sabe disso chega de arranjar desculpas para si mesmo. Ninguém consegue ter o corpo que sempre sonhou sem alguns pequenos sacrifícios. Mãos a obra e vamos suar a camisa!

Quanto a genética influência no emagrecimento?

         Falar de genética e emagrecimento, sem citar os estudos de Paulo Gentil, é praticamente impossível. Em uma postagem recente, Gentil disse o seguinte:

Me envolvi com pesquisas relacionadas a genética durante grande parte da minha carreira. Vários pesquisadores fizeram, já que acreditávamos que a genética poderia ter um papel determinante no que uma pessoa poderia obter em sua vida em termos de treinamento e de composição corporal.

Desta forma, os cientistas começaram a tentar descobrir qual a influência da genética para os resultados obtidos através do exercício físico. A meta audaciosa era desenhar os treinos, prever precisamente os resultados das intervenções, fazendo isso a partir de uma análise genética, que seria feita a partir de um fio de cabelo ou de algumas células da sua mucosa. Pois bem, isso seria a solução para os problemas em prescrever treinamentos, já que assim as especificidades de cada pessoa seriam facilmente observadas.

Porem, depois de muitos anos de trabalho, chegamos a uma conclusão que não esperávamos. Descobrimos que não dava para atribuir à genética, o papel que lhe é comumente esperado. Na verdade, depois de muitas pesquisas feitas ao redor do mundo, foi possível chegar à conclusão de que as atitudes diárias importavam muito mais do que se imaginava. E mais: com um novo conceito, a epigenética, descobrimos que estímulos ambientais podem modificar a maneira como nossos genes se expressam, fazendo com que estas alterações sejam transmitidas para as próximas gerações. Ou seja, você até pode ter nascido com uma predisposição genética para engordar, mas caso você se alimente corretamente e pratique exercícios de maneira correta, você irá silenciar esse gene e ainda, irá fazer com que seus filhos não manifestem tal predisposição.

(Gentil, 2014)

Essa fala do doutor Paulo Gentil só vem corroborar com algo que já é tido como unanimidade na ciência do treinamento físico, de que genética não é destino! Caso você adote uma posição estática, culpando seus antecessores por sua condição atual, saiba que isso será uma desculpa sem fundamento e só serve para esconder suas fraquezas! Seja protagonista, adote uma postura de protagonista e você verá que a genética é muito mais fraca que sua determinação! Bons treinos!

REFERENCIAS